MISSÃO

Valorizar a Memória, a História e o Património é a nossa missão.
Produzir conteúdos (editoriais, turísticos, museológicos...) é a nossa ferramenta.

QUEM SOMOS

SUZANA FARO

Museóloga. Nasceu no Porto em 1964. Licenciada em História, variante de Arqueologia (1986) e pós-graduada em Museologia (1995) pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto onde igualmente se doutorou (2007) naquele que foi o primeiro doutoramento em Museologia de uma universidade portuguesa. Formadora de Professores nas áreas de Museologia e História, acreditada pela Universidade do Minho. Professora Auxiliar nos cursos de licenciatura e mestrado de Arquitetura da Universidade Lusíada - Porto (de 2008 a 2012) e Professora Convidada de cursos de doutoramento e mestrado da Universidade Católica - Porto (desde 2007).
Dirigiu e coordenou o Museu da Indústria Têxtil de V. N. Famalicão (1989 a 2000) e o Museu dos Transportes e Comunicações (2003 a 2018), foi Chefe da Divisão da Cultura e Museus da Câmara Municipal de Matosinhos (2010) e consultora do Museu do Carro Eléctrico (2002).
Desempenhou funções directivas no Grupo de Estudos Arqueológicos do Porto, no Campo Arqueológico da Serra da Aboboreira e pertence, desde 2015, à Direção da International Association of Transport and Communications Museums.
Autora de múltiplos ensaios e estudos de investigação, editados em publicações da especialidade.

JOEL CLETO

Arqueólogo, Historiador e divulgador da História e Património. Nasceu no Porto em 1965. Licenciado em História (1987) e Mestre em Arqueologia (1994) pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto; Formador de Professores nas áreas de Arqueologia e História, acreditado pela Universidade do Minho (1997); professor Especialista pelo Instituto Superior de Administração e Gestão do Porto (2015), onde é docente na licenciatura em Turismo e integra o centro de investigação (NIDISAG). Assegura semanalmente, desde 2006, programas sobre História e Património na estação televisiva "Porto Canal". A sua série “Caminhos da História” obteve em 2016 o Prémio Melhor Trabalho Media da Associação Portuguesa de Museologia. No âmbito da sua relação com o grupo Futebol Clube do Porto Media colabora também com o Museu do Futebol Clube do Porto, projeto ao qual se encontra ligado desde a sua concepção e montagem.
Pertenceu aos quadros da Câmara Municipal de Matosinhos de 1987 a 2014. Nesta Autarquia foi arqueólogo, Chefe da Divisão da Cultura e Museus, dirigiu o Museu da Quinta de Santiago e coordenou o Gabinete Municipal de Arqueologia e História.
Enquanto arqueólogo integrou também o Campo Arqueológico da Serra da Aboboreira, tendo dirigido escavações em diversos monumentos megalíticos dos concelhos de Baião e Marco de Canaveses. Desempenhou também funções directivas no Grupo de Estudos Arqueológicos do Porto e na Associação Profissional de Arqueólogos. Integra, desde 2017, o Conselho Municipal de Cultura do Porto.
Autor de vários livros (alguns traduzidos para inglês, espanhol e italiano) e de dezenas de ensaios e estudos de investigação, é desde 2008 colaborador permanente da revista “O Tripeiro” e pertence desde 2015 ao conselho editorial da revista “História – Jornal de Notícias”. Foi galardoado pela Autarquia do Porto, em 2017, com a Medalha Municipal de Mérito – Grau Ouro.

JÓNATAS FARO CLETO

Nasceu no Porto em 1996. Estudante de Direito na Faculdade de Direito da Universidade do Porto. Dirigente associativo. Colaborador do ateliê de História e Património “Romper os Sapatos”. Possui conhecimentos básicos de Russo e Mandarim.

LIA FARO CLETO

Nasceu no Porto em 2000. Estudante do curso de Comunicação, Jornalismo e Multimédia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

CLIENTES

Algumas das instituições que já utilizaram os serviços da TACITUS.

PORQUÊ TACITUS?

Auguror nec me fallit augurium, historias tuas immortales futuras.

“Eu prevejo, e as minhas previsões não falham, que as suas histórias serão imortais” – assim se refere Plínio, o Jovem, a  Publius Cornelius TACITUS (c.56 – depois de 117). E, de facto, embora grande parte da sua obra se tenha perdido, e também porque não foi um autor muito popular durante a Idade Média (tendo em conta uma certa antipatia que denotava em relação aos cristãos), Tacitus virá a ser redescoberto durante o Renascimento e é hoje considerado por alguns como “o maior historiador que o mundo romano já produziu” (Ronald Mellor, 1995) e um dos “homens mais letrados de todas as eras” (Enciclopédia Britânica, 1911).

É o rigor da sua abordagem, mas também a sua capacidade de nos prender com histórias imortais que nos inspiram. É algo que está implícito (tácito) na nossa actividade.

Inspirado no desenho de um busto de Tácitus de 1829, o logotipo da “TACITUS. Património & História”, da autoria da designer Alexandra Dias, procura transmitir uma imagem que alia o rigor clássico, historicista e científico, a uma abordagem mais contemporânea e dinâmica.